Voltar ao blogue

Ana Maiques: «Neurociência e Tecnologia da Saúde»

12/12/2023 South Summit
PARTILHAR:

Nos últimos anos, houve uma explosão de pesquisas no campo das neurociências e tecnologias em saúde. Este campo em expansão está tendo um impacto profundo na maneira como entendemos e tratamos uma variedade de condições médicas. Ao combinar o conhecimento médico tradicional com tecnologia avançada, os pesquisadores estão fazendo progressos significativos na compreensão do cérebro e como ele funciona.

 

A neurociência é um campo de pesquisa em rápido crescimento que está ajudando a melhorar o diagnóstico e o tratamento de doenças neurológicas. Tradicionalmente, a pesquisa em neurociência tem se concentrado na compreensão da anatomia e fisiologia do sistema nervoso. No entanto, os recentes avanços na tecnologia permitiram que os pesquisadores se aprofundassem no funcionamento do cérebro, proporcionando uma melhor compreensão de seu papel no comportamento, nas emoções e na saúde física.

 

Uma das áreas mais interessantes da pesquisa em neurociência é o desenvolvimento de tecnologia em saúde. Isso envolve o uso de dispositivos digitais que podem ser usados para monitorar a atividade cerebral de um paciente e outras funções fisiológicas. Esses dispositivos podem ser usados para diagnosticar e tratar uma variedade de distúrbios neurológicos, incluindo a doença de Parkinson, a doença de Alzheimer e outras condições neurológicas. Por exemplo, o uso de dispositivos como EEGs (eletroencefalografia) e ressonância magnética (ressonância magnética) pode ajudar a identificar as áreas do cérebro que são afetadas por um determinado distúrbio.

 

À medida que o campo da neurociência e da tecnologia em saúde continua a evoluir, seu potencial para melhorar o atendimento ao paciente e a qualidade de vida está se tornando cada vez mais claro. Ao combinar o conhecimento médico tradicional com os avanços da tecnologia, nossos pesquisadores da Neuroelectrics estão obtendo uma melhor compreensão do cérebro e seu papel no comportamento, emoções e saúde cerebral. Como resultado, o desenvolvimento da tecnologia de saúde está ajudando a revolucionar a maneira como diagnosticamos e tratamos condições neurológicas.

 

O futuro da neurociência e da tecnologia da saúde parece muito promissor. Os pesquisadores continuam a fazer avanços na compreensão de como o cérebro funciona e como ele pode ser usado para diagnosticar e tratar condições neurológicas. Além disso, o desenvolvimento de dispositivos vestíveis continua a fornecer dados em tempo real sobre a atividade física de uma pessoa e outros sinais vitais, permitindo um aconselhamento médico mais personalizado.

 

No futuro, há potencial para o uso de inteligência artificial (IA) na área da saúde. Os sistemas de IA poderiam ser usados para analisar grandes quantidades de dados, como EEGs e exames de ressonância magnética, o que poderia levar a diagnósticos mais precisos e melhores tratamentos. Além disso, os sistemas de IA podem ser usados para monitorar a saúde de um paciente ao longo do tempo e detectar mudanças em sua condição. Isso permitiria que os médicos fornecessem intervenções mais oportunas e potencialmente melhorassem os resultados dos pacientes.

 

Em última análise, o futuro da neurociência e da tecnologia da saúde é brilhante. À medida que a pesquisa continua a descobrir mais sobre o funcionamento do cérebro, a ciência médica continuará a se beneficiar dos avanços na tecnologia. O potencial da IA e outras formas de tecnologia para revolucionar a maneira como diagnosticamos e tratamos condições neurológicas é muito empolgante. Com pesquisa e desenvolvimento contínuos, podemos esperar um futuro em que as condições neurológicas possam ser diagnosticadas e tratadas de forma mais eficaz.

Autor do artigo

Ana Maiques

  • CEO na empresa Neuroelectrics

Ana Maiques é CEO da Neuroelectrics, uma empresa que pretende mudar a forma como interagimos com o cérebro, desenvolvendo tecnologias inovadoras para monitorizar e estimular o cérebro para ajudar muitos pacientes necessitados. Foi nomeada pelo IESE como uma das empreendedoras com menos de 40 anos mais influentes em Espanha (2010) e recebeu o Prémio UE para Mulheres Inovadoras da Comissão Europeia CE em 2014 e uma das Cinquenta Mulheres Mais Inspiradoras da Europa. A Neuroelectrics recebeu recentemente o prémio Best Start-up in Health 2015 pela revista Wired UK num evento incrível em Londres. Ela passa seu tempo entre Barcelona e Boston.

ana_maiques_ss_2021